Como um paciente escolhe seu médico?
  • 11 Agosto 2015

Alguma vez você já se pegou tentando descobrir o que faz um paciente escolher outro profissional ao invés de você, ou escolher você no lugar dos outros? Já parou pra pensar o que pode influenciar o processo de escolha de um paciente?

Existe um padrão em como o paciente escolhe seu médico e é possível percebê-lo. É possível notar que existe uma série de etapas que os pacientes seguem ao se deparam com a necessidade de um atendimento médico. É claro que em alguns casos esse processo de escolha não segue o padrão - seja por se tratar de uma situação de emergência ou por falta de opções. Mas na maioria dos casos a decisão do paciente passa por 5 estágios:


1ª etapa: Reconhecimento do problema

A primeira etapa que define como o paciente escolhe o médico é o reconhecimento do problema. Essa etapa é chamada de pré-decisão, e acontece quando o paciente toma consciência de um problema ou condição que está afetando sua saúde. Nessa fase ele irá buscar informações relacionadas aos seus sintomas - geralmente com o auxílio da internet - e dessa forma entrará em contato com possíveis diagnósticos de doenças ou lesões.


2ª etapa: Busca de possíveis soluções

A segunda etapa ainda engloba a pré-decisão. O paciente já reconheceu seus sintomas, já buscou informações (corretas ou não) sobre possíveis diagnósticos e agora ele começa a buscar por possíveis tratamentos. Toda essa fase de pesquisa geralmente é feita com auxílio da internet - e é importante ressaltar que nem sempre o paciente acessa sites médicos confiáveis. Muitas vezes as informações encontradas estão incompletas ou incorretas.


3ª etapa: Procura pelos profissionais

Já em posse das informações relevantes (reconhecimento dos sintomas, possíveis diagnósticos e tratamentos), o paciente então começa a buscar por profissionais na área em questão: clínicas e locais que ofereçam consultas e tratamentos relacionados ao seu problema.

Essa busca pode ser guiada por vários critérios:

  • indicações de amigos e parentes;
  • credibilidade do médico;
  • reputação do profissional e da clínica;
  • localização (seja por proximidade ou por bairros "famosos");
  • formas de pagamento.


4ª etapa: Decisão

A quarta etapa do processo de escolha do médico consiste na decisão final do paciente. Depois de analisar suas opções através dos critérios que achar mais relevantes, ele finalmente faz sua escolha de médico ou clínica que mais lhe agradar, e faz o agendamento de sua consulta ou exame. Chegar nessa etapa pode demorar algumas horas ou vários dias (em alguns casos, até mesmo meses, já que o paciente pode reconhecer os sintomas e buscar informações sobre o problema, mas adiar a busca pelo tratamento médico de fato).


5ª etapa: Pós-atendimento

O processo de escolha do paciente não termina com o atendimento. Após a consulta, procedimento ou exame, o paciente vai formar sua avaliação a respeito do profissional que o atendeu e do local em que foi atendido. Essa avaliação inclui a análise do local (clínica, consultório, sala de exames, recepção), a qualidade do atendimento, a pontualidade e cortesia do médico, o nível de conhecimento demonstrado por ele e a eficácia do tratamento.

Analisando essas etapas que definem como um paciente escolhe em qual médico ir, é possível perceber que estar presente no universo digital é imprescindível para os médicos atualmente. Seja no fornecimento de informações relevantes sobre sua especialidade e área de atuação, seja no cadastramento de seu consultório ou clínica em sites especializados e divulgação dos seus contatos (endereço, telefone, web site), é importante se manter atualizado e fazer parte dessa tendência.

Dessa forma, fazendo uso das etapas do processo de decisão para atrair e fidelizar seus pacientes, você obterá bons resultados! Ainda tem dúvidas disso? Deixe um comentário e participe da conversa!