Uma técnica que vem sendo cada vez mais aplicada na área da saúde é a medicina integrativa: prática que tem demonstrado evidências de melhores resultados na recuperação e na preservação da qualidade de vida dos pacientes.

Esse método tem como foco o trabalho em conjunto de médicos, enfermeiros e outros profissionais da saúde com o paciente. No entanto, por se tratar de algo relativamente novo, ainda há muitas dúvidas acerca do tema.

Nos tópicos a seguir, vamos esclarecer os principais questionamentos sobre o assunto. Siga conosco e confira agora mesmo!

O que é a medicina integrativa e como ela funciona?

A medicina integrativa surgiu ainda na década de 1990, nos Estados Unidos, e reafirma a importância da parceria entre médico e paciente para tratamentos mais eficazes. Trata-se da prática da medicina em que o paciente é o principal agente do processo, além disso, o atendimento é humanizado.

Assim sendo, os pacientes deixam de receber informações e orientações de forma passiva para tratar uma doença e passam a participar de forma ativa para melhorar a sua saúde. Isso faz com que os indivíduos também tenham responsabilidades próprias no tratamento.

Na prática, a medicina integrativa vai além dos tratamentos tradicionais, feitos com procedimentos hospitalares e o uso de medicamentos. Nela, são incluídas terapias alternativas, como técnicas de respiração, uso de fitoterápicos, prática da meditação etc.

Quais são as principais vantagens de implementar a medicina integrativa?

Na medicina integrativa, o médico tem um papel de orientador, como alguém que abre caminhos, mas não dita regras. Com mais autonomia, um paciente que tem uma crise de estresse, por exemplo, poderá escolher entre fazer o tratamento da forma convencional (com o uso de medicamentos) ou por meio de terapias holísticas.

Isso proporciona uma série de vantagens, como as que explicaremos agora. Veja!

Melhora o estilo de vida do paciente

O paciente terá melhorias em seu estilo de vida, não buscando ajuda médica somente quando identificar o sintoma de uma doença e quiser um diagnóstico, mas sim adotando hábitos saudáveis em seu dia a dia.

Tem o enfoque integrativo no cuidado do paciente

O paciente terá a consciência de que precisa colaborar e mudar o seu estilo de vida para ter uma boa saúde. Manter uma alimentação saudável e praticar exercícios físicos são exemplos de obrigações do paciente na medicina integrativa.

Utiliza métodos menos invasivos

A medicina integrativa, por ter foco na prevenção, evita que sejam necessários tratamentos muito invasivos. É claro que, em situações mais graves, será preciso fazer uma cirurgia, por exemplo. Porém, se houver cuidados amplos, esses casos serão menos frequentes.

Faz com que o paciente seja tratado em sua integralidade

Outro benefício da medicina integrativa é que ela não tem como foco tratar um problema apenas, como uma dor em determinada região. Ela faz com que o paciente seja tratado em sua integralidade, o que inclui o corpo, a mente e o espírito.

Conhecer a medicina integrativa e apresentar os seus princípios aos seus pacientes é importante, uma vez que essa prática tem gerado bons resultados e ganhado cada vez mais adeptos, principalmente da nova geração.

Este artigo foi interessante? Então, assine a nossa newsletter e receba outros conteúdos relevantes em sua caixa de entrada!

Share: