Em qualquer clínica ou consultório, o bom relacionamento entre médico e paciente é o principal pilar para o seu bom desenvolvimento. Por mais que a gestão de um consultório, ao menos nos níveis técnicos, seja estratégica e dependendo do tamanho da clínica até procedural, o relacionamento entre os médicos e seus pacientes deve independer desses fatores de organização.

Acredite: um mal atendimento de um único paciente pode levar ao afastamento dos demais — um boato se espalha com facilidade e a situação é difícil de ser contornada. Mais do que passar as informações técnicas sobre o diagnóstico, o profissional precisa oferecer toda a confiança que o paciente necessita para seguir seus tratamentos.

Mais do que sanar as enfermidades do paciente, o prestador de saúde deve ser capaz de notar as minúcias que impedirão novos prognósticos dos seus consultados.

No artigo de hoje, vou falar um pouco sobre como essa relação entre profissional da saúde e paciente pode impactar a gestão da clínica e como isso pode ser facilmente resolvido. Confira!

Relação entre médico e paciente

Um problema cada vez mais frequente entre os consultórios, e até mesmo grandes centros médicos, está na falta de um tratamento mais humanizado. Não é raro ouvir reclamações de pacientes que informam poucos de seus sintomas e rapidamente são receitados uma série de medicamentos sem uma avaliação mais precisa de suas reais necessidades. Por conta dessa falta de sensibilidade, os pacientes procuram mais de um médico até encontrar aquele que dê a atenção que ele quer e precisa.

Relacionamento com PacienteEm tempos não muitos distantes, os chamados Médicos de Família eram bem conhecidos e respeitados. Construíam uma boa relação não apenas com seus pacientes, mas também com seus familiares que passavam a ser seus pacientes também. Estes médicos possuíam alto prestígio pela acuidade em seus diagnósticos e, quando o diagnóstico estava aquém da sua especialidade, indicavam outro profissional qualificado.

Por conta do tempo da duração das consultas, atualmente esse tipo de relação tem se tornado rara e cada vez mais distante. Mas isso não significa que os médicos atuais não possam construir algo nos mesmos moldes. Durante o atendimento, procure entender o histórico, seus sintomas e necessidades, de forma que cada diagnóstico e prognóstico seja realizado. Pense não apenas na situação atual do paciente, mas também em como auxiliá-lo a evitar futuras enfermidades.

Otimize a sua agenda

Organizar sua agenda de forma a atender os pacientes com tranquilidade e dedicação, observando e analisando as particularidades de cada um — ajudá-lo nessa tarefa, apostar em um software de gestão seja uma boa ideia. Dessa forma, seus pacientes terão todos os motivos para voltarem ao seu consultório sempre que precisarem.

Organize os prontuários

Deixar bem arquivados e documentados cada rotina dos pacientes ajudar a dar um panorama mais amplo de como anda o desenvolvimento da clínica, além de oferecer ferramentas mais práticas para os médicos garantirem que seus pacientes não faltem às consultas.

Construa uma imagem positiva para a sua clínica

Por fim, o principal impacto de uma boa relação com o paciente é na imagem positiva trazida para a clínica. Todos os aspectos levantados acima colaboram efetivamente para como a clínica pode trabalhar a relação com seus pacientes de maneira que ambos saiam beneficiados. É preciso estabelecer uma relação de confiança mútua.

Humanizar as consultas não deveria ser necessariamente uma recomendação, mas uma obrigação de qualquer profissional da saúde. Um detalhe simples como escutar seus pacientes a fundo, separar um tempo adequado para a consulta e mesmo organizar sua agenda de modo a atender a todos da melhor forma traz influências expressivas em sua gestão.

Como sua relação de médico e paciente influencia na gestão do consultório? Você tem alguma dica que contribui para aumentar a confiança do seu paciente? Comente abaixo suas experiências com a gente e deixe também suas dúvidas para ajudarmos!


Share: