Como otimizar a Gestão Financeira da minha Clínica?
  • 18 Janeiro 2018

Quando a gestão financeira não é realizada de forma eficiente, todas as áreas do negócio são prejudicadas. Afinal, sem planejamento e execução do orçamento adequados nenhum empreendimento é bem sucedido. Na área da saúde não é diferente. Por isso, a gestão financeira para clínicas é muito importante. 

Para que o controle financeiro seja feito corretamente, alguns pontos devem ser sempre observados, como o fluxo de caixa com todas as entradas e saídas registradas, os gastos fixos que envolvem a infraestrutura da clínica etc.

Tudo isso pode ser facilitado com o uso de um bom software de gestão. Além disso, outras boas práticas podem ser colocadas em ação para otimizar a gestão financeira de clínicas. Quer saber quais são elas? Então continue a leitura!

Anote todas as transações

Algumas pessoas cometem o erro de não anotar todas as transações realizadas em sua clínica. Isso é muito grave. Por mais que um valor seja considerado insignificante, como aquela pequena quantia que você tira do caixa para pagar uma conta, pode fazer a diferença no fim do mês.

Some um pequeno valor no dia e outro pequeno valor em outro dia e assim sucessivamente. No fechamento do mês, essa conta poderá ser mais do que você imagina, representando um rombo no fluxo de caixa do estabelecimento.

Gestão financeira para clínicas: estabeleça metas

É importante que você estabeleça metas para fazer a gestão financeira da sua clínica. Você pode estipular, por exemplo, que o estabelecimento deve aumentar a lucratividade em X% em um determinado período ou então que cortará X% dos custos, porém sem afetar a qualidade dos serviços oferecidos aos pacientes.

Trabalhar com metas é uma boa tática, pois assim você estará sempre motivado e também motivará a sua equipe financeira a alcançar um resultado satisfatório para todos.

Vale lembrar, no entanto, sobre a necessidade das metas serem reais. Isso quer dizer que as metas podem, sim, ser difíceis, mas não impossíveis de serem cumpridas. É importante que tudo seja sempre trabalhado dentro de um cenário real, levando em conta alguns fatores, como a economia local.

Separe as contas pessoais das contas empresariais

Em pequenos consultórios ou clínicas particulares, é muito comum que os médicos responsáveis misturem suas contas pessoais com as contas da empresa. Isso deve ser evitado e não é recomendável, por exemplo, que você tire dinheiro do caixa da clínica para pagar uma conta particular.

O médico dono do consultório deve estipular um salário mensal, como se fosse empregado de uma empresa, e retirar desse valor o dinheiro necessário para pagar suas contas.

O dinheiro da clínica deve ser utilizado para pagar as despesas da clínica. Se, no fim mês, algo sobrar, você poderá utilizar o valor para investir em melhorias para o estabelecimento, como a reforma, manutenção ou compra de novos equipamentos.

Tenha um bom software de gestão

Não adianta, fazer contas e administrar uma clínica na base do papel é algo inadmissível nos dias de hoje. Para otimizar a gestão, é fundamental que o local tenha um bom software, pois somente assim evita-se erros e ganha-se tempo na administração.

Além disso, os softwares de gestão financeira para clínicas também podem gerar relatórios a serem utilizados em análises e planejamentos. Veja como em nosso artigo “Saiba como gerar bons relatórios financeiros na sua clínica médica”.