Sem sombra de dúvidas, ainda há um certo ar de mistério envolvendo o chamado ?sistema na nuvem?, que pode ser definido como um ramo da TI para o armazenamento de arquivos, gráficos, documentos e demais projetos, possibilitado pela união de servidores (ou seja, não limitado por servidores específicos). Por esse motivo, permite a possibilidade de que qualquer indivíduo (de posse de um login e senha) arquive e acesse, em qualquer lugar do mundo, os seus documentos.

No caso específico de um consultório clínico, as suas principais vantagens, são:

Redução de custos, já que diminuirá consideravelmente os gastos com manutenção de TI;

Segurança, pois terá a garantia da recuperação dos seus arquivos de agendamento de consultas e prontuários diante de qualquer situação;

Aumento da capacidade de armazenamento de acordo com o crescimento do número de clientes, rápido e fácil compartilhamento de informações entre paciente e profissional, além de outros benefícios.

Portanto, o objetivo deste artigo é estabelecer algumas dicas para o seu consultório clínico seguir ao decidir migrar para o sistema na nuvem, atentando-se a alguns detalhes que podem fazer toda a diferença durante essa migração. Confira:

1. Opte pelo sistema na nuvem ideal para as necessidades da clínica

Ao adotar um sistema em nuvem, a princípio o contratante possui duas opções de sistema: público e privado. No privado, o sistema na nuvem é gerenciado em segundo plano, por intermédio de técnicos de TI contratados por você. Isso permite um maior controle do sistema, porém com mais responsabilidade e menos tranquilidade.

Já no sistema público, um provedor é contratado para gerenciar toda a estrutura, possibilitando menos custos e mais espaço de armazenamento de acordo com o crescimento do consultório clínico ? porém, com menos controle do sistema.

Há também os sistemas híbridos, que são uma mescla do público com o privado, permitindo que ambos os sistemas funcionem de modo independente e interajam entre si quando necessário. A vantagem fica por conta da segurança de dados, pois, caso a sua clínica queira proteger determinadas informações, pode armazená-las na nuvem privada e garantir a proteção.

2. Contrate um sistema de gestão para armazenamentos na nuvem

Por um valor fixo, é possível gerenciar todos os procedimentos de um consultório clínico por meio de um sistema na nuvem. A MV e a Netdente (aliados ao provedor Amazon Web Services), o SAP (aliado à IBM ), a Onmed, entre outros, são alguns exemplos de sistemas de gestão que já têm algum know-how nesse segmento.

3. Invista nas melhores práticas de segurança

Após meditar sobre o tipo de armazenamento em nuvem adequado ao seu consultório clínico e contratar o provedor ideal, é hora de garantir que somente algumas pessoas possam ter acesso aos documentos, ou seja, estabelecer uma hierarquia por nível de acesso. Isso é obtido por meio de um bom sistema de criptografia, políticas de uso e autenticações.

É recomendado, também, que os backups sejam feitos periodicamente, a fim de garantir a integridade dos dados.

4. Conheça a legislação que define o seu sistema

Como em qualquer tipo de negócio, conhecer a legislação que rege o sistema na nuvem pode evitar alguns transtornos futuros. Saber, por exemplo, o que fazer em caso de falência da empresa de software; de não receber oque contratou; além de várias outras situações.

Quanto a esse último item, inclusive, é recomendado atentar-se ao Acordo de Nível de Serviço (SLA), afinal, isso garantirá que a sua clínica receba o serviço de acordo com as expectativas ? caso o serviço seja mal prestado, haverá uma multa.

5. Prepare uma boa infraestrutura baseada em cloud computing

Utilize soluções para melhora de desempenho que são elaboradas pelos sistemas de gestão e disponibilizadas para o usuário. Execute atualizações constantes de TI, utilize um bom antivírus, além de outros cuidados que serão determinados pelo seu provedor e que garantem a eficiência de um sistema na nuvem.

Caso queira revelar as suas impressões sobre esse artigo, falar sobre suas experiências ou levantar dúvidas, não hesite em deixar o seu comentário!

Share: