Fique por dentro de como funciona o imposto de renda para médicos
  • 28 Maio 2018

Anualmente, todas as pessoas físicas que receberam rendimentos tributáveis com valores acima de R$ 28.559,70 precisam fazer a declaração de imposto de renda. E, como muitos médicos trabalham em clínica própria, sem vínculo empregatício, e recebem valores superiores ao estipulado como mínimo, devem declarar seus dividendos para a Receita Federal.

Apesar disso, e também por terem uma rotina muito corrida, é comum que os profissionais da saúde tenham muitas dúvidas sobre o assunto. Pensando nisso, desenvolvemos este post, que tem o objetivo de esclarecer uma série de questionamentos para que você fique por dentro de como funciona o imposto de renda para médicos. Acompanhe na sequência.

Qual é o prazo para declarar o imposto de renda?

A declaração de imposto de renda é anual, e os prazos variam de ano para ano. Geralmente, esse período se estabelece entre os meses de março e abril, porém, é recomendado que todas as finanças estejam sempre organizadas, para que não ocorram problemas no momento da declaração.

Registrar comprovantes de pagamentos e recebimentos é muito importante durante todo o ano, para que os materiais sejam utilizados quando chegar o momento certo.

Que informações devem estar na declaração?

A primeira das informações que deve constar na ficha de declaração é a natureza de ocupação do declarante. No caso dos médicos, existem duas categorias que podem ser utilizadas, dependendo da situação de cada profissional:

  • 11: profissional liberal ou autônomo sem vínculo empregatício, e
  • 12: para proprietário de empresa ou de firma individual.

Além disso, todos os profissionais da área da saúde precisam inserir o código ou número do registro profissional no documento.

Outra questão muito comum diz respeito ao CPF dos pacientes e dos dependentes. Explicaremos as duas situações:

CPF dos pacientes

Todos os pacientes que são atendidos de forma particular, ou seja, sem o intermédio dos planos de saúde, precisam ter o CPF inserido na declaração dos médicos.

Isso se justifica pelo fato de que essas pessoas podem incluir esses valores pagos a você em suas declarações pessoais, e os valores precisam ser comprovados. Se um paciente declarar R$ 1.000,00 pagos por um procedimento médico, e a sua declaração não tiver o mesmo valor, ambas as partes deverão prestar esclarecimentos à Receita Federal.

CPF dos dependentes

No caso dos dependentes, devem ser incluídos os filhos, o cônjuge ou outras pessoas que dependam da sua renda. Para isso, no entanto, é preciso que esses indivíduos não façam declaração de renda, pois, se isso ocorrer, eles não podem ser considerados dependentes.

O número do CPF de todos os dependentes que têm mais de 8 anos de idade deve constar na declaração.

Quais são os itens que podem ser deduzidos do imposto?

Existem ainda alguns itens que podem ter o valor deduzido do imposto. No caso dos médicos, os principais valores que podem ter a dedução efetuada são os seguintes:

  • gastos com a clínica ou consultório;
  • gastos com saúde;
  • pagamento de previdência privada;
  • valores pagos ao conselho de classe;
  • despesas com propaganda;
  • entre outros.

Agora, você já sabe um pouco mais sobre como funciona o imposto de renda para médicos. Portanto, fique atento para não cometer nenhuma irregularidade e estar sempre com suas finanças em dia em relação aos órgãos fiscalizadores.

Caso queira compartilhar suas dúvidas ou experiências conosco, deixe um comentário no espaço abaixo. Assim, podemos ter um debate produtivo sobre o assunto.


imposto de renda para médicos